América do Norte Viagens

México: revisitar um país com tanto para oferecer!

Maio 31, 2022
México

Para nós, o México é sinónimo de belezas natural, arquitectónica, gastronómica e humana, além de oferecer praias extensas banhadas pelo Mar do Caribe, que são sempre um bom bónus! Tínhamos estado no México (pela primeira vez) em Junho de 2018 e voltámos agora, em Maio de 2022.

A forma mais prática de explorar a península de Yucatán é de carro alugado. Foi a opção que escolhemos, em ambas as viagens ao país, especialmente pela liberdade que permite. À parte disso, há transportes públicos (existe uma rede de autocarros entre cidades, operada pela empresa de transportes ADO, que tem viagens frequentes em toda a Península do Yucatán) e inúmeras excursões.

FACTO: ao longo dos últimos anos, as praias de Quintana Roo (onde fica a faixa litoral conhecida como Riviera Maya) têm sofrido com a presença excessiva de sargaço. Para monitorizarem a situação nos vários destinos podem consultar os semáforos de cores da Red Sargazo que diariamente indicam a quantidade de sargaço presente em cada praia.

Como chegar e o que apresentar?

Saímos do aeroporto de Lisboa em direcção a Cancún (cerca de 10h de voo).
É necessário passaporte com validade superior a seis meses à data de saída do México e o bilhete de avião de ida e regresso (preferencialmente impresso). Não é necessário visto, sendo o tempo máximo de estadia de 180 dias.

Para a viagem foi também necessário o certificado de vacinação completa Covid-19, não tendo sido necessário apresentação de teste PCR negativo.

Quando visitar?

A questão da meteorologia é cada vez mais relativa e incerta, mas graças à variedade de clima, o México pode ser visitado durante todo o ano, sendo que cada região tem a sua melhor época para visitar.

As zonas costeiras são quentes e húmidas durante todo o ano, enquanto os planaltos têm temperaturas amenas. A estação seca dura de Novembro a Abril e esta é a melhor época para visitar as terras altas do México. Ao longo das costas tropicais do Mar do Caribe e do Oceano Pacífico, os melhores meses para uma viagem são entre Novembro e Abril. A maioria dos ciclones ocorre entre Agosto e Outubro.

HOLBOX

Agora, em Maio de 2022, voltámos ao México e começámos desde logo por explorar a ilha Holbox (diz-se “Holboch”), uma excelente opção para quem não se identifica com os resorts all-inclusive de Cancún e Playa del Carmen. Para se ter uma noção da dimensaão, a ilha tem 42 km de comprimento e 2 km de largura, faz parte da reserva natural Yum Balam e oferece cerca de 30 km de praias.

Há um aeroporto minúsculo na ilha, mas nem vale a pena pesquisar voos, porque são poucos e muito caros. Então para lá chegar nós viajámos a partir do aeroporto de Cancún até Chiquilá (±2h de viagem, 145 km de distância), onde deixámos o carro estacionado (na chegada ao aeroporto alugámos carro com a empresa Premiere). Dali apanhámos ferry (há a cada 30 min., alternando entre as companhias Holbox Express e 9 Hermanos Holbox Ferry, e a viagem dura cerca de 30 min.), tendo os bilhetes um custo cerca de 25€. Não é preciso comprar bilhetes com antecedência, é chegar ao porto de Chiquilá e embarcar no ferry seguinte. 

Quanto à alimentação, com o crescimento do turismo na ilha – tempos foram em que Holbox era considerado o segredo de Yucatán mais bem guardado, e para aquilo que oferecem, os restaurantes de Holbox são caros. Portanto, a popularidade da ilha tem crescido: o lado bom é que as infraestruturas (hóteis, restaurantes, beach clubs) melhoram, mas inevitavelmente todo o lugar que sofre o “boom” turístico, passando a haver problemas como superlotação, risco de desrespeito às normas de sustentabilidade e perda das suas características iniciais. Apesar de tudo, em 2022 ainda consideramos a ilha um lugar pacato e um refúgio perfeito!

O que fazer em Holbox?

Dolce fare niente
Apesar de não haver muito que fazer em Holbox além de praia e actividades ligadas ao mar, a verdade é que há óptimas praias (e aqui não vimos sargaço) de águas quentes, transparentes e muito tranquilas. Portanto, a ideia é simples: dar mergulhos no mar, aproveitar o ritmo de vida ilhéu, que é relaxado e sem preocupações.

Explorar a ilha de bicicleta
A melhor forma de conhecer Holbox é alugar uma bicicleta e percorrer as estradas de terra batida da ilha.

A outra alternativa de locomoção (além de se andar a pé, obviamente) é o carrinho de golfe, mas não há necessidade de contribuir para a poluição sonora e degradação ambiental quando há a bicicleta como opção.

Nós alugámos bicicleta com a empresa Holbox Bikes, tendo ficado por cerca de 12€ por dia.

Apreciar a arte urbana e o pôr do sol na ilha
vários murais pintados no povoado de Holbox. Aliás, até na praia encontrámos murais que merecem a nossa atenção e apreciação.

Outra actividade que sugerimos é assistir ao pôr-do-sol na praia, até porque há muitos bares de praia ou, então, podem caminhar junto ao pontão e aproveitar o momento!

Nadar com tubarões-baleia
É verdade! Há quem vá a Holbox para poder nadar com tubarões-baleia, sendo que a época ideal é entre Junho e meados de Setembro.

Onde ficar em Holbox?

Nós escolhemos o Aldea Kuká – Holbox Eco Hotel Boutique, que oferece uma boa área de praia privada, excelente localização e é muito bonito! Porém, não tivemos uma boa experiência, porque o meu telemóvel desapareceu e quando fomos a ver tinha sido ‘desviado’ por um membro do staff. Enfim, esse episódio foi relatado nas stories do Instagram.

COBÁ

Também na Península de Yucatán fica Cobá – que ainda não tínhamos visitado -, um importante centro maia que chegou a ter 50 mil habitantes. A área está rodeada por vários lagos que ajudaram no desenvolvimento e subsistência da cidade, além de ser aqui que se situam as ruínas de Cobá que, normalmente, perdem espaço para a famosa Chichen Itzá. 

Escondida no meio da selva, a cerca de 45 minutos de distância de Tulum, tem a pirâmide maia mais alta do México e outras estruturas, como Campos de Pelota, observatórios astronómicos e alguns templos, todas no meio de uma imensa floresta tropical. Um lugar mágico!

Durante duas noites, ficámos hospedados no Coqui Coqui Coba Residence & Spa, agachado entre a selva e a lagoa de Cobá. Este hotel é gerido pela sofisticada perfumaria Coqui Coqui e recomendamos muito, quer pelo atendimento cuidado do staff quer pela singularidade dos espaços. Os quartos são únicos, assim como a escolha dos aromas dos produtos de higiene. São os clientes que, à chegada, seleccionam os aromas dos quais vão usufruir durante a estadia, contribuindo para uma experiência ímpar!

TULUM

Tulum fica na Península de Yucatán, na famosa Riviera Maya, uma região excelente porque é aqui que conciliamos as praias maravilhosas do caribe mexicano, rodeadas de história e cultura, numa atmosfera de puro relax e easy-going.

O que fazer em Tulum?

Para relembrar a viagem de 2018, que ainda vos pode ser útil, ficámos alojados no Una Vida Tulum e no Azulik Eco Resort, sendo que também nessa altura alugámos carro e explorámos vários pontos naquela região mexicana:
Dia 2Chichén Itzá, as lagoas coloridas de Las Coloradas e, no regresso, parámos em Valladolid.
Dia 3: fomos à descoberta do Gran Cenote e do Cenote Calavera.
Dia 4: um dia dedicado aos sabores mexicanos!
Dia 5Bacalar, o paraíso conhecido pela lagoa que se cruza com o mar, dona de 7 tons de azul! 

Este ano, além da praia (e como já tínhamos ido a vários cenotes da primeira vez no país), fomos conhecer o Tecer Cielo Cenote (custo de entrada: 300 pesos mexicanos consumíveis) e a Laguna de Kaan Luum (custo de entrada: 300 pesos mexicanos).

Onde ficar em Tulum?

Desta vez, em Maio de 2022, optámos por ficar umas noites no Nômade Tulum, que oferece uma área de praia privada, além de estacionamento privado e gratuito (bastante útil para quem aluga carro). Esta é outra opção de alojamento que recomendamos bastante e gostaríamos de destacar a energia e a arquitectura do local, os aromas, a decoração e a comida (destaque para o restaurante da praia que tem os melhores tacos). O hotel oferece diferentes tipologias de quarto, nós optámos pelas tendas, que estão construídas sobre uma plataforma elevada. Relativamente ao pequeno-almoço, íamos sempre ao Be Tulum, que é da mesma gerência, e fica mesmo ao lado do Nomâde.

[Escolher um hotel com piscina é particularmente relevante, uma vez que podem ter muito sargaço no mar.]

Outros hóteis que visitámos e recomendamos:
La Valise
Be Tulum
Papaya Playa Project

Além dos dois em que já tivemos e que mencionámos acima: Una Vida Tulum e Azulik Eco Resort.

Dicas de restaurantes:

Porque um destino não se faz só de praia nem de cultura, o México tem também uma excelente oferta gastronómica!

Na península de Yucatán, e considerando as nossas escolhas, o preço médio da refeição ficou entre 50 a 100 Euros, por pessoa, sendo que no México as gorjetas são importantes e, em restaurantes, é recomendado deixar de 10% a 15% do valor total da conta.

Deixamos as nossas sugestões – testadas e aprovadas:
Burrito Amor
Meze
Be Tulum
La Popular
Parole Tulum
Arca
Casa Banana

Esperamos que este conteúdo vos seja útil ou, pelo menos, inspirador!

Também poderá gostar

Sem comentários

Deixe um comentário