Ásia Viagens

Bangkok, the city of life!

Fevereiro 7, 2016

A Tailândia é um destino cada vez mais popular entre os europeus. Bangkok costuma ser a sala de visitas do país, é a mais populosa da Tailândia e, apesar de ser uma cidade enorme, as principais atracções turísticas estão quase todas muito próximas umas das outras. Com muita vida e muita coisa a acontecer, Bangkok é frenética! Vamos viajar?doubletrouble_bangkok (1)

De forma geral, a Tailândia tem um  clima tropical, quente e húmido, com duas estações bem definidas: o Verão (estação chuvosa) – que vai de Maio a Outubro e o Inverno (estação seca) – que vai de Novembro a Abril, sendo que esta é a melhor altura para se ir à Tailândia. A boa notícia? O sul da Tailândia tem duas costas – a Costa Oeste (Phuket, Krabi, ilhas Phi Phi) e a Costa Leste (Samui, Koh Phangan, Koh Tao) – e ambas têm estações chuvosas ligeiramente diferentes, o que permite encontrar sempre um destino de praia que garanta bons dias de sol. O importante é ir, como sempre defendemos!
Bangkok
Não é preciso nenhuma vacina em particular nem nenhum visto, apenas um passaporte com seis meses de validade mínima.

Esta viagem ao país começou, então, por Bangkok. Também conhecida pela cidade dos anjos, é uma das mais importantes capitais do sudoeste asiático. Podemos dividi-la em duas partes: a cidade velha, com templos e palácios do seculo XVIII e a cidade moderna, com centros comerciais, restaurantes sofisticados e muito, muito mais.
Bangk

Três dias: foi o tempo que alocámos para conhecer Bangkok, mas no fim soube a pouco. Ficámos no hotel Ibis Riverside, uma escolha barata e prática dada a sua localização. A cidade tem tanta coisa para ver e viver que pouco tempo passámos no hotel, mas ainda deu para um banho nocturno na piscina.

O primeiro dia foi dedicado aos templos (cidade velha). Começámos pelo Wat Pho, onde podemos ver o gigantesco Buda Deitado. O Wat Pho funciona diariamente, entre as 8h00 e as 18h30, sendo que a entrada custa 100 baths. Convém irem vestido de forma apropriada, isto porque calções ou ombros de fora não são permitidos. Quem se interessar pode fazer uma sessão de massagem no local onde nasceu essa importante parte da cultura tailandesa. Uma massagem de 30 minutos custa 260 baht. Mais informações aqui. Perto deste templo fica o Grand Palace de Bangkok, mas como é bastante grande e lotado não tivemos tempo de conhecer, são bem precisas duas horas para este palácio. Fica apenas a sugestão! 😉

Bangkok

Bangkok

Bangkok
Fomos também ao Wat Traimit, no qual podemos chegar pertinho de uma das estátuas mais valiosas para o budismo: é a maior estátua de ouro maciço no mundo, pesa cinco toneladas e meia e tem três metros de altura com o pedestal. Gigante! Este templo fica perto da Chinatown de Bangkok, um bom lugar para comer, fazer compras ou apenas para passear!
Bangkok

O Wat Benchamabophit é também conhecido como Templo de Mármore e, por curiosidade, é a sua imagem que aparece nas moedas de 5 baht. 😉
Bangkok

O Wat Arun é outro ponto obrigatório que, na verdade, é um grande complexo de templos. Siuado às margens do rio Chao Phraya, é o maior de Bangkok. Na torre mais alta do complexo (com uns generosos 80m de altura) é possível ter uma excelente vista sobre a cidade. Infelizmente, como já era noite, não tivemos a oportunidade de subir.
Bangkok

No segundo dia comprámos uma viagem que nos levou ao Mercado Flutuante e à Ponte do Rio Kwai, onde almoçámos e visitámos o Templo dos Tigres e estivemos perto de elefantes.

A viagem até o Mercado Flutuante demorou cerca de uma hora e meia. É uma viagem interessante, porque no caminho conseguimos ver inúmeros templos, várias plantações de arroz e uma paisagem deslumbrante. Portanto, não é algo maçador.

Chegados ao local, entrámos num barco e depois de bebermos uma água de coco (cortesia dos tailandeses) fomos pelos canais adentro. Repleto de lojinhas de mil e uma coisas assim é o Mercado Flutuante, mas também há os vendedores que trabalham dentro de pequenas jangadas, sendo que todos “lutam” pela atenção do turista. Neste passeio de barco também vimos uma região mais residencial.
Mercado Flutuante

Bangkok

Bangkok

doubletrouble_bangkok (15)

De seguida, fomos conhecer a Ponte do Rio Kwai, onde hoje há um museu de guerra e um cemitério de veteranos nas redondezas. É uma ponte histórica que tem uma forte ligação à Segunda Guerra Mundial. Junto à ponte fica um restaurante onde almoçámos um buffet com vista para o rio.

Bangkok

Bangkok

Partimos, então, em direcção ao Templo dos Tigres, mas antes fomos ver os elefantes. Passeámos com eles pelo meio da floresta de lagos e depois fomos conhecer as suas instalações. Alimentámos os elefantes e conhecemos as suas crias. Uma experiência única para quem gosta de animais!
Bangkok

Bangkok
Seguiu-se o Templo dos Tigres, onde começámos por assinar um documento que isenta o templo e o staff de toda e qualquer responsabilidade em caso de um ataque repentino. É recomendável que usem cores suaves que não despertem a “curiosidade” dos tigres. Há sempre uma grande polémica à volta das visitas turísticas a estes templos, algo incontornável. A verdade é que os voluntários do templo garantem que os animais não são drogados nem sofrem maus tratos.  Contudo, não deixa de ser estranho vermos os tigres adultos tão calmos e sonolentos… Será esse o poder dos budas? Já as crias são muito brincalhonas e adoráveis. Neste parque os tigres convivem com todo tipo de animais, desde porcos a veados. Uma relação interessante!Bangkok

Bangkok

No último dia em Bangkok resolvemos explorar a cidade moderna para fazer umas comprinhas e fomos também à conhecida Jim Thompson House. Fica à beira de um canal e pertenceu ao empresário norte americano Jim Thompson, um dos principais responsáveis pela popularidade da seda tailandesa.

PratunamPratunam, uma das áreas mais coloridas e caóticas de Bangkok
Bangkok

Jim Thompson House

Bangkok

Bangkok
Fomos ver o pôr-do-sol ao restaurante Sky Bar, onde foram gravadas algumas cenas do filme Hangover. Aqui os homens não podem entrar de calções e o dress code existe. Tenham isso em atenção se pensarem ir a este local que é magnífico e que tem um vista incrível sobre a cidade. O contra é mesmo o preço, é um lugar bastante caro, por isso não jantámos lá.
Sky Bar

doubletrouble_bangkok (25b)

Fomos conhecer o mercado nocturno de Patpong e para jantar provámos uma das iguarias da Ásia: gafanhoto frito, que sabe a fritos apenas!
doubletrouble_bangkok (27b)

Bangkok

Bangkok

Bem, a viagem a Bangkok acabou e muito ficou para ver e viver. É, de facto, uma cidade incrível com uma energia única.

Seguiram-se as ilhas Phi Phi que foram igualmente uma fantástica descoberta asiática. Fica para um próximo post! 😉

Esta viagem foi feita em Abril de 2013.

 

Também poderá gostar

1 Comentário

  • Reply Ilhas Phi Phi, a forma fácil de chegar ao Paraíso! - Double Trouble - Blog Março 5, 2016 at 10:00 am

    […] um paraíso na terra. Super recomendado! Também já escrevemos sobre Bangkok, podem consultar aqui. Esta viagem foi feita em Abril de […]

  • Deixe um comentário